Mitos e verdades: Vale a pena terceirizar squads de produto?

A escassez de profissionais do segmento de tecnologia não é assunto recente nas empresas do setor. Mas o crescimento acelerado deste mercado gerou um impacto ainda maior em relação à busca por profissionais especializados para ganhar escala com produtos digitais.

Segundo relatório da Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), a área de TI (Tecnologia da Informação) deve ter demanda para cerca de 420 mil profissionais até 2024. 

A dificuldade de encontrar talentos fortalece os modelos de terceirização. Essa prática, introduzida no passado com as chamadas “fábricas de software”, vem ganhando força, mas alguns mitos ainda deixam gestores na dúvida sobre contar ou não com a extensão da força de trabalho de TI. 

Quando se fala em terceirizar squads de produto, deve-se esclarecer que são muitas as alternativas, que vão além de serviços de infraestrutura e monitoramento de ambientes. Serviços de consultoria podem ser terceirizados com empresas especializadas em determinadas áreas, como Business Intelligence e Big Data. Assim como a construção de softwares, que é justamente onde os mitos mais aparecem. Mas as verdades não deixam por menos!

Mito: Vou gerar ruído no meu squad interno

Pelo contrário, o squad interno aprende no processo com os squads terceirizados. Há muito valor agregado do ponto de vista de pluralidade do time: diversas trajetórias profissionais e diferentes metodologias.

Verdade: Os inputs vindos da sua empresa são preciosos no processo

É traçado um Roadmap de Produto com base nos inputs do seu time, que já domina seu negócio, para proporcionar o envolvimento do squad contratado. Enquanto esses profissionais atuam no projeto, o squad pode se dedicar a outras frentes demandadas pela empresa, principalmente nas features que são core.

Mito: Será difícil acompanhar a solução terceirizada

Não é incomum essa dúvida sobre como acompanhar a execução e o cumprimento dos milestones do projeto. Mas existem muitas alternativas que trazem atendimento especializado e promovem uma cultura de transparência entre squads terceirizados e internos.

Verdade: Uso de plataforma com visão unificada de tudo
Isso mesmo, ao contratar uma empresa especializada na terceirização da força de trabalho de TI , você terá acesso a uma plataforma que dá a visão do projeto, documentos, colaboração e evolução das atividades.

Mito: Mas é difícil para todo mundo encontrar profissionais da área
A melhor parte de contar com a terceirização da força de trabalho é justamente essa facilidade em encontrar profissionais. Quem fornece a base de profissionais, além de estar constantemente atrás dessas pessoas, conhece muito bem o público: entende suas motivações e preferências.

Verdade: Garantia da qualificação de profissionais da área técnica

O foco está sempre direcionado em buscar e desenvolver as pessoas com as habilidades necessárias para desempenhar as demandas que a sua empresa precisa. Os profissionais passam por um processo de qualificação, cultural e técnico, e ainda recebem feedbacks constantes para garantir que o squad mantenha alta performance no processo.

Mito: Tenho dúvidas se são usadas as melhores práticas e tecnologias
As tecnologias, processos e práticas evoluem constantemente, mas lembre-se do foco de quem é especialista em terceirização da força de trabalho. Essas empresas sempre vão buscar as melhores práticas, metodologias e tecnologias para o seu produto, há uma escolha personalizada para cada negócio.

Verdade: São seguidos processos bem definidos e baseados em frameworks de produto
Esses são reciclados e aprimorados o tempo todo, com aprendizados de outros projetos, novos profissionais, habilidades e conhecimentos adquiridos ao longo de relacionamento com clientes e outros stakeholders.

Foto: Nappy


Mito: Não tenho certeza da capacidade de entrega do squad de produto terceirizado
Um ponto relacionado a esse mito está em pensar que para um squad externo, entender as regras de negócio será muito complexo. Outro é se ela terá capacity suficiente para executar o projeto. Mas essa questão é desmistificada com a alocação de um squad de produto completo e apto para construir produtos específicos, além da etapa de onboarding com o time todo e pessoas de atendimento para auxiliar na priorização das demandas e alinhamento de expectativas.

Verdade: Métodos ágeis de desenvolvimento de software são utilizados
Contratar uma empresa especializada em produto traz o grande benefício de internalizar aprendizados em metodologias, ferramentas e muito mais, além de alocar os profissionais mais qualificados. 

Vale a pena terceirizar squads de produto
O mesmo relatório da Brasscom citado acima afirma que o Brasil capacita 46 mil pessoas com perfil apto para atuar em TI. Mas segundo projeção da entidade, para ocupar todas as vagas disponibilizadas seriam necessários cerca de 70 mil profissionais ao ano.

Aliado a isso, deve-se considerar todo o tempo e custos envolvidos em recrutamento e seleção, onboarding e capacitação de novos colaboradores. Sem esquecer dos impactos de altos índices de turnover e necessidades de replacement.

É possível identificar inúmeras vantagens em buscar a extensão da força de trabalho por meio da terceirização de TI sob demanda, tais como:

  • Velocidade
  • Escalabilidade
  • Baixo risco
  • Flexibilidade
  • Conhecimento em produto e tecnologia

Esse modelo de serviços é a chave para aumentar sua capacity de produto, considerando que squads de produto seguem sobrecarregados com demandas importantes da companhia. Ao mesmo tempo em que contratar e manter talentos na área é tarefa árdua.

De acordo com a consultoria Gartner, 64% dos executivos de TI consideram a falta de mão de obra o principal obstáculo para a adoção de tecnologias emergentes. Esse número está bem à frente de questões relativas a custo de implementação (29%) e riscos com segurança (7%). Por isso, contar com quem é especialista e tem uma grande rede de profissionais de diversas especialidades faz total sentido.

*Em 2017, ainda na faculdade, André Abreu co-fundou a BossaBox, marketplace que propõe a aceleração da transformação digital de grandes empresas por meio da conexão com times remotos de tecnologia. Como CEO da empresa, realizou em 2020 uma rodada de investimentos de R$8 milhões liderada pela Astella Investimentos. Hoje, a BossaBox tem uma base de 13 mil profissionais de tecnologia e conta com clientes como Unimed, Gerdau e Neoenergia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.