Diversidade e inclusão nos games

CCBC debate experiências do Brasil e Canadá com o mercado de games para promover a diversidade e a inclusão na indústria. Análises do setor apontam que o Brasil é o maior em receitas de jogos da América Latina e o 12º do mundo. País deve arrecadar cerca de US$ 2,3 bilhões em 2021 com o segmento

Considerando a lucratividade global do setor, a indústria de jogos já é a maior no segmento de entretenimento no mundo, de acordo com relatório da SuperData com dados de 2019. Levando em consideração a expressividade desse mercado que movimenta bilhões e as projeções de futuro, a Câmara de Comércio Brasil-Canadá (CCBC), cumpre seu papel de estimular as relações comerciais entre os dois países em todos os setores de desenvolvimento das nações, inclusive no de games, e para isso, realiza no dia 7 de julho de 2021, às 15h30, um webinar para quem quer saber mais sobre este cenário, com foco nas experiências brasileiras e canadenses. Além do potencial de negócios dessa indústria, o evento vai explorar como ela vem se posicionando em relação à diversidade e o que vem fazendo para ser um universo mais inclusivo.

Só no Brasil, o segmento de lucrar cerca de US$ 2,3 bilhões (equivalente a cerca de R$ 12 bilhões), o que representará um aumento de 5,1% na arrecadação anual, segundo aponta pesquisa divulgada em 2021 e realizada pela Newzoo – empresa de análises sobre jogos e levantamentos referentes ao setor. Já o Canadá, segundo pesquisa da The ESA Canada 2019, mantem 692 estúdios ativos de games e registrou crescimento do setor equivalente a 16% nos últimos dois anos. Estima-se que são 48 mil profissionais dessa indústria, sendo mais de 27 mil trabalhando diretamente com o desenvolvimento de jogos, um mercado de trabalho majoritariamente masculinos, apesar de que já há uma quantidade até que expressiva de mulheres (18% dos desenvolvedores de jogos são mulheres, segundo dados da Women in Games International). Alinhado a isso, a Abragames – Associação Brasileira das Empresas Desenvolvedoras de Jogos Digitais, diz que o Brasil está entre as indústrias emergentes e com maior potencial, e que entre os líderes de mercado está o Canadá.

Avaliando os números das pesquisas de mercado, considerando sua notória importância para o desenvolvimento econômico/ social e acompanhando as projeções apresentadas por especialistas, torna-se fundamentalmente relevante discutir a diversidade e a inclusão dentro da indústria e sua representatividade nos produtos finais que entrega. Portanto, organizamos uma webinar para ensinar e aprender a partir das experiências do Brasil e do Canadá com o segmento”, explica Paulo de Castro Reis, diretor de relações institucionais e negócios da CCBC.

Representatividade no conteúdo dos jogos

Embora já existam algumas personagens femininas em jogos, como“Lara Croft” – personagem fictícia e a protagonista da série de videojogos Tomb Raider da Square Enix, ainda é baixo o volume de lançamentos “fora do padrão tradicional”. No entanto, o E3a maior feira de jogos do mundo que aconteceu on-line em junho deste ano, revelou que muitas empresas do segmento já entendem a importância da diversidade também presente no conteúdo. Por isso, jogos como, “Assassin’s Creed Origins”- com personagens diferenciados – estão entre os exemplos mais recentes das mudanças de cultura e postura desta indústria.“É preciso entender como é o posicionamento do setor em relação à diversidade, haja visto que, vem avançando nesse quesito, mas ainda há muito o que se fazer, por exemplo, em relação às mulheres que jogam”, opina Paulo.

Participam do encontro “Diversidade e inclusão na indústria de games: experiências do Brasil e Canadá”: Angela Mejia, diretora de estúdio na CleverPlays; Carolina Caravana, vice-presidente da Abragames; Carolina G. Prado, gerente de comunicações para o Brasil e Canadá na Intel; Raphaelle Lapierre, coordenadora do Comitê de Diversidade e Inclusão, e, Celso Azevedo, coordenador do Comitê de tecnologia, ambos da CCBC.

O evento é on-line e gratuito e acontece via plataforma Zoom, mediante inscrição prévia realizada no link do evento. Há opção de participar do webinar e ainda contribuir com uma causa social de distribuições de alimentos básicos e itens de higiene às famílias em situação de vulnerabilidade social. As cestas básicas serão distribuídas por meio da parceria da CCBC com a Central Única de Favelas – CUFA SP.

Mais informações estão disponíveis no site da CCBC e nas redes sociais Facebook, Instagram e LikedIn.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *